Jardinagem ajuda a controlar a ansiedade e a depressão

© Free Photos/Pixabay

Hits: 1

Além de deixar os ambientes mais bonitos, a jardinagem faz bem para a mente. Estudos mostram que pessoas com ansiedade, esquizofrenia, Alzheimer e depressão se beneficiam ao cuidar de plantas. Os fins terapêuticos, no entanto, se estendem a qualquer um que queira botar a mão na terra. A jardinagem foi usada com sucesso, por exemplo, como parte de um programa de terapia ocupacional em um hospital psiquiátrico japonês. Foi relatado que os esquizofrênicos tiveram redução na supervisão e melhora na tomada de decisão, na resolução de problemas, na atenção e na integração social com família e funcionários. O Hospital Universitário de Brasília realizou um levantamento relacionando pacientes com Alzheimer ao uso terapêutico da jardinagem. Nesse caso do Distrito Federal, houve melhora no desempenho mental e emocional dos indivíduos que participaram da iniciativa. Uma oficina com hortas e jardins também contribuiu para minimizar os sintomas de depressão em idosos e de abstinência em alcoólatras.

Famosos no jardim

Zizi Possi afirmou, em 2018, que a jardinagem a ajudou a superar a depressão. “Passei muito tempo deprimida”, disse à jornalista Mariana Godoy. “Com as plantas, você sempre tem uma resposta. Você a trata bem e daqui a dois meses ela te dá um retorno impressionante.” Em 2009, depois de tentar ioga, remédios, análise e misticismo, Britney Spears montou um jardim em sua casa na Califórnia e se apaixonou pela jardinagem. Em seu perfil no Instagram, a cantora costuma fazer postagens com flores e temas florais.
 
Ver esta publicação no Instagram
 

🌸🌸🌸

Uma publicação partilhada por Britney Spears (@britneyspears) a

Durante a quarentena imposta pelo novo coronavírus, muitos descobriram a horticultura como um passatempo prazeroso e produtivo. Elizabeth Hurley foi uma dessas pessoas. “Estou cuidando loucamente do meu jardim”, disse a atriz em entrevista à revista “Harper’s Bazaar”. Agora, ela até comemora a chegada da chuva. Com todos os projetos travados pela pandemia, Marcos Pasquim se dedicou aos trabalhos domésticos e desenvolveu o gosto pela jardinagem ao cuidar de uma roseira. Como aconteceu com o ator, é possível começar um jardim sem pretensão e descobrir a paixão pela prática.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *