Mais 14.600 doses da CoronaVac chegam a Pernambuco. Estado deve receber 267.250 doses da AstraZeneca/Oxford até segunda

Hits: 2

Pernambuco recebeu, na tarde deste sábado (1º), mais 14.600 doses da vacina CoronaVac/Butantan contra o novo coronavírus. O quantitativo, que chegou ao estado às 15h20, será destinado exclusivamente à aplicação da segunda dose em idosos, segundo o Governo de Pernambuco. O Governo promete divisão “proporcional e equânime entre os municípios pernambucanos”. O envio para todas as 12 Gerências Regionais de Saúde (Geres) está programado para começar na manhã deste domingo (02), com término no início da tarde, em uma operação logística que envolve vários setores da Secretaria Estadual de Saúde (SES) e conta com o apoio da Secretaria de Defesa Social (SDS). De acordo com a superintendente de Imunizações da Secretaria de Saúde, Ana Catarina de Melo, as vacinas vão ser utilizadas para administração da segunda dose dos idosos. O estado deve receber até esta segunda-feira (03) mais 267.250 doses da vacina AstraZeneca e a primeira remessa da vacina Pfizer/BioNTech. Com essa nova remessa, Pernambuco soma 2.645.280 doses de imunizantes contra a covid-19 já recebidos, sendo 1.789.560 da CoronaVac/Butantan e 855.720 da Astrazeneca/Fiocruz.

Gripe

O estado também recebeu, neste sábado, mais 220.400 doses da vacina contra a gripe. Com isso, já são mais de 1,2 milhão de vacinas que chegaram a Pernambuco para a primeira fase da campanha contra a Influenza, que segue até 10 de maio e contempla crianças de 6 meses a 5 anos, população indígena, gestantes, puérperas (mulheres até 45 dias após o parto) e trabalhadores de saúde. Até o momento, de acordo com o sistema de informação do Ministério da Saúde, os municípios aplicaram 270.709 doses. “A orientação estadual é que os municípios façam o mapeamento do público prioritário nesta primeira etapa da campanha. Estamos chegando ao fim da primeira fase e precisamos garantir que nossas crianças, grávidas, puérperas e profissionais de saúde estejam protegidos”, disse a superintendente Ana Catarina. Ela lembrou ainda que é preciso um intervalo mínimo de 14 dias entre as doses de vacinas da influenza e da covid-19, caso o indivíduo esteja contemplado em ambas as campanhas de vacinação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *